Santuário de Aparecida

0 62

Durante a primeira entrevista coletiva da 56ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom João Bosco Barbosa de Sousa, bispo de Osasco (SP), falou à imprensa sobre as várias temáticas que serão abordadas no evento. Além do tema central: “Diretrizes para a Formação dos Presbíteros da Igreja no Brasil”, mais de trinta assuntos serão trabalhados no intuito de buscar a plena participação de todo o episcopado brasileiro nos dias de atividades.

Dom João lembrou que as decisões tomadas na Assembleia não se referem a uma determinada circunscrição ou Diocese. São assuntos que dizem respeito a todo o episcopado e assuntos relevantes para a Igreja e a sociedade brasileira. “A Assembleia Geral da CNBB é um evento eclesial que pretende buscar a unidade da Igreja. Nenhum assunto é decidido sem que se gaste bastante tempo ouvindo as opiniões dos irmãos bispos, contestando, se for o caso, estudando em grupos e retornando para a grande plenária. Os textos que são aprovados são revirados de todos os jeitos para que se chegue a uma unanimidade que é importante para que a Igreja caminhe”, declarou.

Ainda segundo o bispo, essa unidade acontece porque se tem essa convicção de que a Igreja é conduzida pelo Espírito Santo e há uma grande abertura  por parte do episcopado para se chegar naquilo que é o essencial para que a ação evangelizadora possa acontecer.

Temas prioritários

Dentre os temas que serão abordados durante a Assembleia, a evangelização nos centros urbanos ganhará destaque.  Dom João Bosco alertou que essa é uma questão de analise de conjuntura que interessa a Igreja.

Outro tema que também implicará a reflexão aprofundada do episcopado é a manutenção do estado laico. “Muitos entendem o estado laico como um estado contra as religiões ou um estado ateu. Um estado laico é aquele onde todas as religiões tem o seu espaço e onde a liberdade religiosa realmente existe. O estado laico não se compromete com nenhuma religião e favorece a todas. Se temos um estado laico, temos uma nação religiosa”, explicou.

A entrevista coletiva foi conduzida por dom dom Darci José Nicioli, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da CNBB e também contou com a participação do arcebispo de Mariana, dom Geraldo Lyrio Rocha e o arcebispo de Porto Alegre, dom Jaime Spengler.

0 211

Uma jovem e amadurecida diocese

Em abril de 2019, a nossa querida diocese de Osasco estará completando 30 anos, desde a sua criação, determinada pelo Papa São João Paulo II. Em maio, dia 1º, 30 anos de sua instalação. A mesma bula papal separava da Arquidiocese de São Paulo as dioceses de Santo Amaro, Campo Limpo, São Miguel Paulista e Osasco. Quatro irmãs gêmeas, destinadas a ser dioceses grandes, populosas, e, também, ricas em vitalidade pastoral, formadas por uma corajosa periferia urbana que aliava a fé intensa e o compromisso social. Osasco teve como primeiro bispo aquele que era já auxiliar de Dom Paulo Evaristo, Dom Francisco Manuel Vieira. A matriz de Santo Antônio passou a ser Catedral, e o número de paróquias, que na época eram 43, hoje mais que dobrou.  Eram 46 padres diocesanos, hoje chegamos aos 100. As Congregações Religiosas abriram caminhos, formaram comunidades, ensinaram, e junto com o clero diocesano alimentaram a fé dos mais de 1 milhão e meio de habitantes que moravam na diocese. Hoje são 2 milhões e meio, e as comunidades em torno às 88 paróquias chegam a quinhentas. Dom Ercílio Turco, que esteve à frente da diocese quase a metade desses anos, me segredou com seu jeito retraído dizendo assim: “O Senhor vai ter muita alegria aqui. É uma diocese muito boa”. Tinha razão.

Vamos então ter, a partir da Romaria do próximo 1º de Maio, um ano inteiro de preparação para o Jubileu de Pérola da Diocese de Osasco. E não será um ano de espera, mas um ano de caminhada. Vejam: neste ano temos programadas as visitas do Bispo em cada Região Pastoral. As Regiões agora são nove, com a chegada das três novas: São José Operário, Ibiúna e Itapevi. Isso significa mais proximidade, mais organicidade, mais facilidade na formação e na troca de experiências.

Teremos também durante este ano a visita peregrina das relíquias de Santo Antônio, padroeiro da diocese, e de São João Paulo II, aquele que criou a Diocese. A nossa Catedral, que está sendo restaurada e ampliada, receberá, no final da peregrinação, as relíquias, e faremos a proclamação de São João Paulo II como co-padroeiro Diocesano. Ainda este ano teremos em andamento o projeto vocacional “Cada Comunidade uma Nova Vocação”. Esse projeto, que foi lançado na Missa do Crisma, está se espalhando por todo o Brasil, mas para nós tem um sabor especial: são 15 anos do ComVocacão, o nosso maior evento vocacional, pelo qual devemos dar muitas graças a Deus. Tudo isso ocorre em meio ao Ano do Laicato, que deverá também produzir muitos frutos de participação e compromisso dos nossos Leigos e Leigas, na Igreja e no mundo.

Nesse ano também estaremos experimentando os primeiros passos da Missão em Moçambique, com os Diáconos Rafael e Denis, integrando a Missão do Regional Sul 1 da CNBB. Nosso compromisso será de rezar por eles e ajudar materialmente a missão. Mas, mais que isso, queremos receber as bênçãos de Deus para nos tornar mais ainda uma “Igreja em saída”, um renovado empenho missionário aqui mesmo em nossas comunidades, um Laicato que seja no mundo luz e sal, a serviço do Evangelho.

Romaria Diocese, maio de 2017.

O primeiro passo é a nossa Romaria. Mesmo sendo dia de São José Operário, a presença e participação de todas as paróquias é importante. Vamos chegar ao 1º de maio de 2019 com um legado forte e significativo, fruto que permaneça em nossas almas, e para as gerações futuras, um jubileu digno de uma diocese que começou uma história tão abençoada e heroica, e toma esse passado com respeito, com olhar de esperança.

Dom João Bosco, ofm
Bispo Diocesano de Osasco
Instagram @d.freibosco

0 353

Em comunhão com a Igreja de Osasco, as paróquias da diocese realizaram no dia 06 de maio a XIII Romaria ao Santuário Nacional de Aparecida.

Em comunhão com a Igreja de Osasco, as paróquias da diocese realizaram no dia 06 de maio a XIII Romaria ao Santuário Nacional de Aparecida. Desde a noite de sexta-feira (05), muitos já se encaminhavam à casa da Mãe Aparecida para participarem da peregrinação diocesana que reuniu 20.000 fiéis registrados em caravanas.

Além dos 300 anos da aparição da imagem de Nossa Senhora Aparecida, a diocese celebrou seu 28º aniversário de instalação e o encerramento da peregrinação diocesana ocorrida ao longo do último ano com a réplica da imagem recebida na romaria de 2016. Outro momento especial foi o lançamento do livro ‘Minha Mãe Aparecida’ do Pe. José Eduardo Oliveira pela editora Ecclesiae, no Auditório Padre Noé Sotillo.

romaria diocesana (76)
Oração do Terço na concentração – Tribuna Bento XVI.

Os peregrinos se concentraram por volta das 7h em frente à Tribuna Bento XVI para meditação e oração do Santo Terço. Os bispos Dom João Bosco Barbosa de Sousa (bispo titular) e Dom Ercílio Turco (bispo emérito), ausentes por motivo de convalescença, foram lembrados por Pe. Jorge Augusto Moreira – Coordenador de Pastoral, que dedicou um momento de oração em favor da breve recuperação de ambos.

Após o encerramento da concentração, os padres e peregrinos se dirigiram até o Santuário para o início da celebração da Santa Missa, presidida por Dom Edney Gouvêa Mattoso, bispo da Diocese de Nova Friburgo/ RJ, que pela segunda vez consecutiva realiza sua romaria em conjunto com a Diocese de Osasco. Dom Edney apresentou como intenções da Santa Missa os 95 anos de presença das Irmãs Angélicas no Brasil e lembrou-se da contribuição para a igreja de Irmã Miria Kolling, falecida no dia 05 de maio.

romaria diocesana (18)
D. Edney Gouvêa – bispo de Nova Friburgo.

Na homilia o bispo destacou a perseverança na oração e a compreensão do silêncio de Deus, que muitas vezes nos inquieta. “Quando nada acontece, há certamente um milagre que não estamos vendo”.  Dom Odiney relembrou também o encontro da imagem pelos pescadores que tirando-a das águas, levaram para casa e lhe prepararam um humilde altar, apontando-os assim, como exemplo do acolhimento e da doação que o cristão deve ter para com os outros. “Ser fiel é ofertar com amor e esmero o melhor que está ao nosso alcance.”

Finalizando a celebração Monsenhor Claudemir José, vigário geral de nossa diocese, fez a leitura da mensagem enviada por Dom João Bosco em agradecimento a Nossa Senhora Aparecida pelas bênçãos e graças recebidas durante a peregrinação da imagem na Diocese de Osasco.

Confira as fotos: https://goo.gl/UXbWtR

 

0 679
romaria osasco
D. João recebendo Imagem Jubilar durante a 12ª Romaria Diocesana. Foto: A12

Milhares de romeiros, dezenas de padres, seminaristas e religiosos das Dioceses de Osasco (SP) e Nova Friburgo (RJ) estiveram presentes no Santuário Nacional de Aparecida, na manhã deste sábado (07), para participar da celebração de envio da Imagem do Jubileu de 300 anos. A celebração das 9h, foi presidida pelo bispo de Nova Friburgo Dom Edney Gouvêa Mattoso e concelebrada pelo bispo de Osasco Dom Frei João Bosco Barbosa de Souza, o bispo emérito de Osasco Dom Ercílio Turco, o reitor do Santuário Nacional padre João Batista de Almeida e ainda dezenas de sacerdotes.

Na diocese de Nova Friburgo a Imagem Jubilar percorrerá todo o território episcopal entre os dias oito de maio e 12 de agosto. Em Osasco, a peregrinação irá visitar as 87 paróquias da diocese até o período que antecede a próxima peregrinação da diocese em maio de 2017.

O Jubileu dos 300 anos do encontro da Imagem de Aparecida nas águas do Rio Paraíba do Sul será comemorado em 2017. Dioceses de todo o Brasil estão recebendo a visita da Imagem Peregrina da Padroeira do Brasil.

Ver fotos: https://www.flickr.com/photos/diocesedeosasco/albums/72157665821793074