Ordenação Presbiteral

0 411

Frei Vanderlei da Silva Neves foi ordenado presbítero pelo bispo diocesano de Osasco e seu confrade, Dom João Bosco Barbosa de Sousa, durante Celebração Eucarística, às 18 horas deste sábado (16/12), no Santuário e Convento São Francisco, no centro de São Paulo.  A celebração, que durou duas horas, foi sóbria, fraternal e bem franciscana.

O histórico convento, que neste ano celebrou 370 anos de fundação, não via uma ordenação presbiteral há muitos anos, segundo o seu pároco Frei Alvaci Mendes da Luz. Era visível a alegria nos rostos de seus confrades, familiares, e amigos, especialmente a caravana que veio de Xaxim, onde Frei Vanderlei reside. Não faltou emoção também. Frei Vanderlei disse que não choraria nos agradecimentos finais porque já o tinha feito durante a ordenação diaconal, em Xaxim, e que se manteria firme. Mas não segurou a emoção e, por tabela, emocionou a todos. É sempre assim. O rito da ordenação é muito intenso e poucos conseguem não se envolver, como os pais Maria do Socorro e Valdecy Pereira Neves e irmão de Wagner.

vanderlei_161217_2No altar com Dom Bosco, o Ministro Provincial, Frei Fidêncio Vanboemmel, o pároco Frei Alvaci Mendes e o diácono Frei Marcos Vinícius Motta Brugger. Muitos frades das cidades vizinhas e de toda a Província, como o Vigário Provincial, Frei César Külkamp,  estiveram presentes, além dos familiares, paroquianos e amigos de Frei Vanderlei.

Na sua homilia, Dom Bosco partiu das leituras bíblicas para ressaltar que o chamado, que a vocação à vida religiosa, não é fruto do esforço do consagrado, mas é, de fato, escolha de Deus. “Por isso, o profeta acentua muito essa expressão ‘desde o seio da mãe fomos escolhidos’. Quer dizer, não tínhamos condições nem de racionar e nem de escolher por nós mesmos. É presente de Deus. É dom de Deus”, enfatizou o bispo.

Segundo Dom Bosco, esse presente foi muito cultivado durante a vida religiosa. “Com quanto gosto a gente esperou este momento da nossa escolha chegar, e, de fato, chegou. E a gente agradece a Deus porque nos deu esse dom. E no nosso caso, especialmente como religiosos, essa escolha é feita por caminhos tão bonitos. Primeiro, a escolha da vida religiosa franciscana. Fomos escolhidos para sermos franciscanos e passamos a viver dentro da fraternidade essa vocação especial que nos fez consagrados a Deus. Dentre os consagrados, há aqueles que receberam esse chamado da escolha para o ministério ordenado. É capricho de Deus. É uma escolha feita com muito cuidado e que só podemos agradecer num dia como hoje, todos nós – com mais ou menos tempo como consagrados ou ordenados – devemos ir lá no fundo do coração e agradecer. Não é mérito nosso”, acrescentou o bispo.

Mas ele também lembrou que esse chamado, certamente, não é para uma vida cômoda, mas é muito desafiador. “Não tenha medo, mas você vai enfrentar situações que são difíceis. ‘Eu vou estar contigo’, diz a Palavra, mas não significa que não tenha esses desafios. Tem. Ser chamado para ser profeta significa, de alguma maneira, estar pronto para encontrar situações diversas, como oposição, zombaria, perseguição, quem sabe a morte. Quem sabe, não! Está bem presente nesse chamado nosso morrer por Aquele que morreu por nós. A forma como isso deve acontecer na nossa vida nós não sabemos, mas é morrer. E para a gente ter certeza disso, o Evangelho vai dizer depois que ‘o bom pastor é aquele que dá a vida por suas ovelhas’ ou por seu rebanho. A regra que nós temos para seguir no nosso caminho, na nossa vida, no nosso chamado, é o martírio”, exortou Dom Bosco.

vanderlei_161217_4

O bispo franciscano lembrou que o ministério diaconal é a base, o fundamento da vida presbiteral e não apenas um estágio. “Servir é o fundamento do nosso ministério ordenado”, disse. “Que bonito sermos chamados dentre as fileiras dos frades para servir à Igreja. São Francisco não chegou a esse ministério presbiteral, era diácono. Mas o seu amor à Igreja, o seu respeito pela Igreja – e uma Igreja numa época não tão recomendável, vamos dizer assim -, era absoluto e ele queria que os frades a servissem de toda a maneira”, destacou, lembrando grandes presbíteros da Ordem Franciscana como Santo Antônio e São Boaventura. “Eles e outros entenderam que servir à Igreja era uma forma especialmente querida por São Francisco para se realizar a nossa vocação primordial, que é a nossa vocação religiosa, a vocação franciscana. E eu me sinto muito feliz de estar aqui como franciscano, de também ter tido essa graça, essa escolha para servir à Igreja, podendo estar exercendo esse ministério presbiteral como o nosso querido Frei Vanderlei. Nós servimos à Igreja como sacerdotes franciscanos”, ressaltou.

Segundo o bispo, pelo fato de estar a serviço da Igreja, os sacerdotes não perdem o carisma franciscano. É uma marca que vai carregar sempre, como ele mesmo testemunha isso na sua Diocese de Osasco. “Pelo contrário, esse carisma se acentua também porque é a consagração é uma forma de morrer, de entregar, de sermos inteiramente de Deus, a serviço do povo, a quem devemos pastorear. E a imagem do bom pastor escolhida para o dia de hoje nos mostra isso de maneira muito delineada: Pastores segundo o coração do Bom Pastor”, explicou.

vanderlei_161217_6

Para o bispo, vivemos um momento no Brasil e no mundo carente de pastoreio, de verdade. “Acho que a gente pode repetir aquela mesma expressão que Jesus disse quando viu aquele povo desencontrado, abandonado, triste, doente, sequioso por ouvir sua Palavra, e ele teve aquela expressão de compaixão tão bonita, olhando para aquele povo: ‘Nossa, eles parecem ovelhas sem pastor!’. Olha, o tempo que a gente está vivendo hoje é muito parecido. E nós encontramos – vocês que estão aqui no centrão da cidade – essas ovelhas sem pastor o tempo todo e eu lá na periferia de Osasco. Imaginem aquela imensidão de gente que tem ali, uma diocese tão numerosa!”, disse, criticando o desmonte do Estado brasileiro, que sacrifica os mais pobres. “São ovelhas sem pastor. Então, a você especialmente, e aqueles entre nós que foi dado esse chamado para sermos religiosos franciscanos também ordenados, que imenso campo, que ministério bonito, que necessidade intensa de termos bons pastores segundo o coração do Bom Pastor”, disse, explicando que as ovelhas especialmente queridas por Cristo podem estar em São Paulo, em Santa Catarina ou qualquer outro lugar.

“Vanderlei, que o Senhor lhe dê a clareza para perceber que o que temos não é nada nosso, mas é dom de Deus. Que esse dom foi caprichado por Deus através do carisma que cultivamos na nossa vida religiosa e que colocamos a serviço da igreja; e que a gente saiba ter ‘faro’ do pastor para encontrar exatamente essas ovelhas que necessitam desse pastoreio. Que bonito! Vamos abraçar com carinho esse dom de Deus! Abraçar e viver essa nossa vida, esse nosso chamado, com paixão e alegria, aquela alegria que só um profundo encontro com Cristo, como fez Francisco, pode nos dar”, convidou Dom Bosco.

vanderlei_161217_7

Após a homilia, o rito continuou com o propósito do eleito (VEJA MAIS SOBRE O RITO DE ORDENAÇÃO). Em seguida, foi cantada a Ladainha de todos os Santos, quando o ordenando prostrou-se, como sinal de sua total entrega a Deus. Veio, então, o momento central da ordenação com a imposição das mãos e a Prece de Ordenação. Na sequência, a última parte do rito: unção das mãos, vestição do eleito com a casula e a estola. Frei Nazareno Lüdke e Frei Antônio Mazzuco ajudaram o novo presbítero com as vestes sagradas.

Depois, com a unção das mãos com o óleo do santo Crisma, D. Bosco atou as mãos de Frei Vanderlei e seus pais desataram a fita e receberam a primeira bênção do neopresbítero. Dois paroquianos de Xaxim carregaram em procissão o cálice e a patena para serem entregues a Frei Vanderlei. O rito terminou com o abraço do bispo, dos sacerdotes e religiosos e da família. Na sequência, teve início da liturgia eucarística.

vanderlei_161217_5

AGRADECIMENTOS

vanderlei_161217_P Frei Fidêncio, em nome de toda a Província, agradeceu ao seu confrade, Dom Frei João Bosco, que presidiu a celebração de “uma maneira franciscana, fraterna”. Agradeceu aos confrades do Regional, especialmente a guardião Frei Mário Tagliari, e ao pároco Frei Alvaci. Destacou a presença da caravana de Xaxim e, recordou, que a mãe de Frei Vanderlei dizia, antes da celebração, que o tempo passou depressa enquanto ele esteve na formação e estudos. Agradeceu a família do neopresbítero: “Obrigado pelo irmão que vocês nos deram!”.

Frei Alan Maia, em nome da turma dos anos de formação, deu um presente a Frei Vanderlei, que, por sua vez, agradeceu a todos pela dedicação, carinho e ajuda para realizar este momento tão importante na sua vida. Recordou especialmente a forma carinhosa com que foi acolhido no Convento São Francisco e que só reforçou a sua escolha.

Fonte: franciscanos.org.br

0 395

“Vos darei pastores conforme o meu coração” Jr 3,15

Na manhã desse sábado, 23, duas novas vozes se juntaram ao coro de padres que entoavam a Oração Eucarística na Catedral Santo Antônio, na Diocese de Osasco. Os neo-sacerdotes Pe. Ricardo Rodrigues e Luiz Roberto, ambos da paróquia de origem São José Operário do Munhoz Junior, foram ordenados sacerdotes pelas mãos de D. João Bosco, bispo diocesano e entoaram hoje, pela primeira vez, a consagração eucarística.

No dia em que a Igreja comemora do Dia de São Pio de Pietrelcina, presbítero exemplar e no ano dedicado a Nossa Senhora Aparecida, em honra aos seus trezentos anos, a Igreja Particular de Osasco acolheu em seu seio os dois novos sacerdotes.

Também estiveram presentes na missa de ordenação D. Ercilio Turco, bispo emérito da Diocese de Osasco, Monsenhor Claudemir, Vigário Geral e diversos padres da Diocese.

Na homilia D. João lembrou que o presbiterado é tão sofrido, mas que traz tanta alegria ao coração, cada momento constrói o momento da vocação, transformação de um coração no coração de Cristo Pastor “Deus, o Altíssimo se faz presente no coração de um ser humano frágil. Quem pode nos ensinar um pouquinho dessa missão é a própria Virgem Maria, também pra ela, nós a celebramos neste ano com tanto alegria e tanta benção, também pra ela houve um anuncio, um convite suave e ao mesmo tempo forte ao qual o convite ela teve que responder com todo ser de si mesmo, eu aceito, eu quero, eu busco. Também ela, Maria, ao acolher este convite sentiu o peso desta responsabilidade, mas ao mesmo tempo o esvaziamento de si mesmo pra ser a mãe do Filho de Deus”, disse.

Além disso, “Deus, o Onipotente, se dobra a ponto de esperar uma resposta, uma resposta que em Maria Santíssima foi plena. Em nossa vida sacerdotal ela é diária e se plenifica a cada dia, na vida de outros tantos talvez não aconteça”, diz D. João ao falar da vocação.

As primeiras missas dos Neossacerdotes aconteceram pelo Pe. Luiz Roberto no próprio dia 23 de Setembro na Igreja Sagrado Coração de Jesus, no Jd. Mutinga e no domingo, 24, na Igreja Matriz Nossa Senhora Aparecida no Jd. Piratininga e na Igreja Matriz Santa Isabel. Pe Ricardo celebrou no dia 24, domingo, na Igreja Sagrado Coração de Jesus e na Catedral Santo Antonio.

A Igreja concede aos fiéis que participaram da missa e receberam a benção neo-sacerdotal as indulgências plenárias.

Ver fotos: https://goo.gl/2TY9kh

0 253

Pela imposição das mãos de Dom Frei João Bosco Barbosa de Sousa, os Diáconos Luiz Roberto e Ricardo Rodrigues receberão a Ordenação Presbiteral no dia 23 de setembro às 9h na Catedral Santo Antônio, na Avenida Santo Antônio, 1.090 / Bela Vista- Osasco.

ordenação sacerdotal

Primeiras missas a serem celebradas pelos neo sacerdotes:

Padre Luiz Roberto 
Lema: “Passemos para a outra margem” (Mc 4,35)

Sábado, 23 de setembro
19h – Igreja Sagrado Coração de Jesus
Av. Diretriz, 434 – Jardim Mutinga Barueri – SP
Domingo, 24 de setembro
08h – Igreja Matriz Nossa Senhora Aparecida
R. General Labatut, 19 – Jardim Piratininga – Osasco – SP
18h – Igreja Matriz Santa Isabel
R. Dr. Nilo Machado, 337 – Vila Isabel – Osasco – SP

Padre Ricardo Rodrigues
Lema: “Chamei-te pelo teu nome: tu és meu (Is 43,1)

Domingo, 24 de setembro
09h – Igreja Sagrado Coração de Jesus
Av. Diretriz, 434 – Jardim Mutinga – Barueri – SP
19h – Catedral Santo Antônio
Av. Santo Antônio, 1090 – Vila Osasco – Osasco – SP

Você e sua família são nossos convidados! Desde já contamos com vossas orações pela vida ministerial dos futuros sacerdotes.

0 707
Foto: Rosemeire Santos

Neste sábado, 12 de setembro, a Igreja de Osasco celebrou a alegria da ordenação de dois novos sacerdotes, Luiz Rogério Cemi e Marcelo Fernandes de Lima.

O rito, muito bem preparado, proporcionou uma linda cerimônia com clima de oração, alegria e louvor a Deus.

A missa solene aconteceu na Catedral Santo Antônio presidida por Dom João Bosco Barbosa de Sousa, sendo esta a primeira ordenação presbiteral realizada pelo bispo, desde a sua posse em julho de 2014.

Dom João em sua homilia falou da alegria da diocese em celebrar duas novas ordenações, mas sobretudo do sentimento contido no coração de Luiz Rogério e Marcelo: “a alegria do lado de fora não é suficiente a que vai no coração”. Fazendo analogia à Maria que ao dar o seu ‘sim’, igualmente desconhecia o caminho proposto, ele declara: “mas sabemos Quem nos chama”. E continuou, dizendo que isto é um alento “que nos ajuda a superar as dificuldades e nos fortalece”.

O bispo concluiu advertindo aos futuros sacerdotes que é preciso sair da acomodação dos templos, da Igreja que “dá alegria, mas não dá cruz”. E aconselhou ser necessário abraçar a proposta que o Papa Francisco nos faz, viver uma Igreja em saída.

Logo após, pela imposição das mãos de Dom João foi conferida aos diáconos a Sagrada Ordem do Presbiterato, seguida da imposição das vestes sacerdotais, unção das mãos, entrega do cálice e patena e a acolhida dos neo-sacerdotes pelo bispo e sacerdotes, ritos que compõem a celebração da ordenação presbiteral.

A leitura do documento de Uso da Ordem foi proferida por Pe. Odair José, Chanceler do Bispado. Concelebraram a Santa Missa Dom Ercílio Turco – bispo emérito, Monsenhor Claudemir José – vigário geral, padres diocesanos e religiosos. A celebração contou ainda com a participação de padres convidados de diferentes dioceses, diáconos e seminaristas.

Os agradecimentos foram feitos pelo, agora, padre Marcelo Fernandes, que deixou registrada a gratidão dos neo-sacerdotes aos bispos, padres formadores, familiares, amigos e paróquias por onde passaram ao longo do período de formação.

 

Veja as fotos : http://dbosco.org/imagens/nggallery/imagens/ordenacao-sacerdotal