Conselho Permanente

O bispo de Osasco (SP) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom João Bosco Barbosa de Sousa, apresentou ao Conselho Permanente, na manhã desta quinta-feira, 21, a proposta de texto sobre a Ideologia de Gênero.

A Ideologia de Gênero foi tema de debate entre os bispos do Conselho.

O documento, preparado pela Comissão com o apoio de estudiosos da área de Bioética e professores, apresentará citações do papa Francisco sobre o tema, considerações de documentos da Congregações para a educação católica e do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida.

Na primeira parte do texto em debate pelos bispos, dom Bosco ressalta o desejo de a Igreja “não abrir mão de defender os mais frágeis”. Na sequência, é proposta uma leitura acadêmica sobre os conceitos que estão por trás da chamada ideologia de gênero, além das consequências da disseminação desses conceitos. Ainda há sugestões de ações da Igreja diante dessa realidade em várias frentes, como a família, educação, juventude, comunicação e no campo político.De acordo com dom João Bosco Barbosa de Sousa, o texto terá um sentido pastoral e deverá ser oferecido nos moldes do subsídio sobre a recepção da Exortação Apostólica Pós-Sinodal Amoris Laetitia, lançado no ano passado pela Conferência.

Dom João Bosco destacou a intenção de oferecer o documento às pessoas que “estão com a mão na massa”, como agentes de Pastoral Familiar que apontaram para a necessidade compreender a questão dessa ideologia.

O bispo auxiliar de Brasília (DF) e secretário-geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, lembrou que o conselho havia apontado a necessidade de um pronunciamento da Conferência Episcopal a respeito do tema. E dedicou parte da segunda sessão da manhã desta quarta-feira para receber as contribuições dos membros do conselho. A votação do texto final deve ficar para a próxima reunião do Conselho Permanente.

0 341

Da manhã desta terça-feira, 20 de junho, até a quinta-feira, 22 de junho, o Conselho Permanente da CNBB está reunido em Brasília com um ampla pauta de assuntos importantes relacionados ao acompanhamento da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil.

Entre as principais tarefas dos bispos nesta reunião estão os seguintes assuntos: tema central e experiências de evangelização para a Assembleia Geral (AG) de 2018; avaliação da última 55ª AG; Sínodo dos bispos sobre a juventude; relatos sobre a última assembleia do Conselho Episcopal Latino-americano (CELAM), estudo de um texto sobre a acolhida da exortação apostólica do papa Francisco “Amoris Leatitia”, apresentação e estudo de um texto de estudo sobre Solo Urbano.

conselho CNBBO Conselho Permanente é composto pelos presidentes e membros dos conselhos dos 18 regionais da CNBB e presidentes das comissões episcopais. Nesta reunião também estão presentes os assessores das comissões episcopais pastorais, representantes dos Organismos do Povo de Deus, além de convidados especiais, como os membros da equipe responsável pela reflexão sobre a conjuntura política e social do Brasil. Também estão presentes representantes dos organismos ligados à CNBB como a Caritas Brasileira e o Conselho Indigenista Missionário (CIMI).

Os participantes tiveram oportunidade de ampliar a pauta de estudos nestes três dias. Entre os temas apresentados no início da reunião há uma sugestão de que a CNBB faça uma proposta de um dia de oração e jejum pelo Brasil. Os bispos trabalham em sessões que ocupam os três turnos do dia. Várias sessões são realizadas na manhã, tarde e noite.

Serviço:
O que é o Conselho Permanente?

É o órgão de orientação e acompanhamento da atuação da CNBB e dos organismos a ela vinculados, bem como órgão eletivo e deliberativo, nos limites de seu Estatuto. É constituído pela Presidência da CNBB, pelos membros das Comissões Episcopais Pastorais (Consep) e os membros eleitos dos Conselhos Episcopais Regionais (Conser).

De que trata o Conselho Permanente?
Orientar, apoiar, acompanhar as atividades da CNBB e dos organismos a esta vinculados, cuidando para que se executem devidamente as decisões da Assembleia Geral e do próprio Conselho Permanente.

0 813

conselho-CNBB-Brasilia-620x360

Membros do Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) estão reunidos na sede da entidade, em Brasília. O encontro teve início ontem, 27, pela manhã, e prosseguirá até a quinta-feira, 29.

Participam deste Conselho a Presidência da CNBB (constituída pelo arcebispo de Brasília e presidente da entidade, dom Sergio da Rocha; o arcebispo de Salvador e vice-presidente, dom Murilo Sebastião Krieger; o bispo auxiliar de Brasília e secretário geral, dom Leonardo Steiner), os presidentes das doze Comissões Episcopais Pastorais e membros eleitos dos Conselhos Episcopais Regionais.

Logo no início da manhã, os bispos discutiram e aprovaram a pauta de trabalho, que conta com assuntos diversos. Ainda no período matutino, receberam o procurador-geral da República, Rodrigo Janot Monteiro de Barros, que apresentou a análise de conjuntura.

No decorrer do encontro, os bispos irão tratar da implementação dos decretos (Motu Proprio) do papa Francisco: Mitis Iudex Dominus Iesus (Senhor Jesus, manso juiz) e Mitis et misericors Iesus (Jesus, manso e misericordioso), que trazem mudanças no processo de nulidade matrimonial.

Também constam na pauta da reunião: a organização da 54ª Assembleia Geral da CNBB, que acontecerá de 5 a 15 de abril do próximo ano; Ano da Misericórdia; 300 anos do Encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida e Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016, com apresentação do texto base.

Na quarta-feira, 28, o núncio apostólico no Brasil, dom Giovanni D´Aniello, terá momento de partilha com os membros do Conselho Permanente. Haverá, ainda, apresentação do relatório sobre a 14ª Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos sobre a Família e encaminhamentos do Estudo 107A “Cristãos Leigos e Leigas na Igreja e na Sociedade”,  do documento sobre a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial e  do diretório da Pastoral da Educação.