30 anos

0 211

Uma jovem e amadurecida diocese

Em abril de 2019, a nossa querida diocese de Osasco estará completando 30 anos, desde a sua criação, determinada pelo Papa São João Paulo II. Em maio, dia 1º, 30 anos de sua instalação. A mesma bula papal separava da Arquidiocese de São Paulo as dioceses de Santo Amaro, Campo Limpo, São Miguel Paulista e Osasco. Quatro irmãs gêmeas, destinadas a ser dioceses grandes, populosas, e, também, ricas em vitalidade pastoral, formadas por uma corajosa periferia urbana que aliava a fé intensa e o compromisso social. Osasco teve como primeiro bispo aquele que era já auxiliar de Dom Paulo Evaristo, Dom Francisco Manuel Vieira. A matriz de Santo Antônio passou a ser Catedral, e o número de paróquias, que na época eram 43, hoje mais que dobrou.  Eram 46 padres diocesanos, hoje chegamos aos 100. As Congregações Religiosas abriram caminhos, formaram comunidades, ensinaram, e junto com o clero diocesano alimentaram a fé dos mais de 1 milhão e meio de habitantes que moravam na diocese. Hoje são 2 milhões e meio, e as comunidades em torno às 88 paróquias chegam a quinhentas. Dom Ercílio Turco, que esteve à frente da diocese quase a metade desses anos, me segredou com seu jeito retraído dizendo assim: “O Senhor vai ter muita alegria aqui. É uma diocese muito boa”. Tinha razão.

Vamos então ter, a partir da Romaria do próximo 1º de Maio, um ano inteiro de preparação para o Jubileu de Pérola da Diocese de Osasco. E não será um ano de espera, mas um ano de caminhada. Vejam: neste ano temos programadas as visitas do Bispo em cada Região Pastoral. As Regiões agora são nove, com a chegada das três novas: São José Operário, Ibiúna e Itapevi. Isso significa mais proximidade, mais organicidade, mais facilidade na formação e na troca de experiências.

Teremos também durante este ano a visita peregrina das relíquias de Santo Antônio, padroeiro da diocese, e de São João Paulo II, aquele que criou a Diocese. A nossa Catedral, que está sendo restaurada e ampliada, receberá, no final da peregrinação, as relíquias, e faremos a proclamação de São João Paulo II como co-padroeiro Diocesano. Ainda este ano teremos em andamento o projeto vocacional “Cada Comunidade uma Nova Vocação”. Esse projeto, que foi lançado na Missa do Crisma, está se espalhando por todo o Brasil, mas para nós tem um sabor especial: são 15 anos do ComVocacão, o nosso maior evento vocacional, pelo qual devemos dar muitas graças a Deus. Tudo isso ocorre em meio ao Ano do Laicato, que deverá também produzir muitos frutos de participação e compromisso dos nossos Leigos e Leigas, na Igreja e no mundo.

Nesse ano também estaremos experimentando os primeiros passos da Missão em Moçambique, com os Diáconos Rafael e Denis, integrando a Missão do Regional Sul 1 da CNBB. Nosso compromisso será de rezar por eles e ajudar materialmente a missão. Mas, mais que isso, queremos receber as bênçãos de Deus para nos tornar mais ainda uma “Igreja em saída”, um renovado empenho missionário aqui mesmo em nossas comunidades, um Laicato que seja no mundo luz e sal, a serviço do Evangelho.

Romaria Diocese, maio de 2017.

O primeiro passo é a nossa Romaria. Mesmo sendo dia de São José Operário, a presença e participação de todas as paróquias é importante. Vamos chegar ao 1º de maio de 2019 com um legado forte e significativo, fruto que permaneça em nossas almas, e para as gerações futuras, um jubileu digno de uma diocese que começou uma história tão abençoada e heroica, e toma esse passado com respeito, com olhar de esperança.

Dom João Bosco, ofm
Bispo Diocesano de Osasco
Instagram @d.freibosco