Diocese de Osasco: Rumo aos 30 anos de evangelização

0 129

Dom Paulo Evaristo cria a Região Episcopal Osasco 

“Tenho uma grande gratidão a Deus por me acompanhar com suas graças” (Dom Francisco)

Entre os anos de 1967 e 1968, na Arquidiocese de São Paulo, foram criadas algumas Regiões Episcopais, dentre as quais se destaca a Região Oeste 2, que mais tarde se tornaria a Região Episcopal Osasco, especificamente criada em 30 de dezembro de 1967, por Dom Agnelo Rossi, sob a coordenação do Monsenhor Camilo Ferrarini, sendo mais tarde substituído por Monsenhor Rafael Busatto.

Região Espiscopal é instalada Diocese de Osasco, em maio de 1989. Foto: arquivo BIO

A década de 70 foi muito comemorativa para nossa Região Episcopal, pois em 5 de abril de 1974, surgiu a 1ª edição do Jornal Oeste II, nome escolhido pelo Pe. João Crisóstomo, porém foi apenas em Março de 1978 que surgiu a 1ª edição do Boletim Informativo de Osasco, conhecido como “BIO”, que está na ativa até hoje em nossa Diocese. Em 12 de dezembro de 1974, tendo sido escolhido por sua Santidade, o Papa Paulo VI, foi ordenado bispo (em 25/01/1975), o Monsenhor Francisco Manuel Vieira, sendo designado, em 24 de fevereiro de 1975, a cuidar da Região Episcopal supracitada: “As mãos sacerdotais que podiam batizar, absolver dos pecados, oferecer o Pão da Vida e o Cálice da Salvação, unir os casais em matrimônio, transmitir a confiança e a paz aos que partiam para a Casa do Pai, puderam a partir de 25 de janeiro de 1975, pelo Sacramento da Crisma, multiplicar os jovens apóstolos leigos, como também transmitir a Ordem sacerdotal. Reconhecendo sua fidelidade à Igreja, sua capacidade de administrar, seu zelo pastoral, foi-lhe entregue um rebanho maior” (BIO: Dez/1999).

Em 1977, comemoramos os 25 anos de ordenação presbiteral de Dom Francisco; em agosto, do mesmo ano, surgiu o 1º calendário Pastoral da Região Episcopal Osasco, como também o Plano de Manutenção do Clero. Além disso, no final da década de 70, especificamente, em Abril de 1979, Dom Francisco deu início a fundação do Seminário São José, ligado a Arquidiocese de São Paulo. A casa de Formação São José, assim denominada, também era utilizada como Centro de Treinamento de Agentes de Pastoral, prioritariamente catequistas e lideranças da Comunidade Eclesial de Base (CEB’s). Uma curiosidade é que de todas as Regiões Episcopais, a Região Osasco era única que possuía um seminário.

Ainda nesta década, Dom Francisco, iniciando o processo de organização da Região Episcopal Osasco, dividiu-a em quatro setores, para facilitar a organização pastoral, sendo eles: Santo Antônio, Bonfim, Barueri e São Roque. Após um período de Visita Pastoral a esses quatros setores, Dom Francisco, com o Conselho Setorial de Pastoral, achou por bem criar mais dois setores de pastoral, Carapicuíba e Cotia, ficando assim seis setores.

Brasão de Dom Francisco

Nesta década foram criadas 13 paróquias, sendo elas: 1970: Nossa Senhora Aparecida (Jandira) 1971: Espírito Santo (Osasco), São Paulo da Cruz (Osasco), São Lucas Evangelista (Carapicuíba) e São Pedro (Carapicuíba); 1972: Nossa Senhora das Graças (Barueri); 1973: Nossa Senhora Mãe da Igreja (Barueri); São Domingos “O Pregador” (Osasco); 1977: Nossa Senhora das Graças (Osasco), Nossa Senhora Medianeira de todas as Graças (Itapevi), Cristo Rei (Itapevi); 1979: Nossa Senhora Imaculada Conceição (Caucaia do Alto), Nossa Senhora das Graças (Vargem Grande Paulista), São Francisco de Paula (Alumínio).

Essa história é apenas o começo de uma caminhada que faremos de rememorações desses 30 anos de história, que se iniciaram “pela força de Deus” (In Virtute Dei – Lema Episcopal de Dom Francisco Manuel Vieira).

Seminarista Thiago Jordão

Sem comentários

Deixe um comentário

*