Igreja em Missão, Iluminada pela Palavra

0 1016

A sala de Palestras da Casa de Formação estava repleta. Representantes dos Conselhos Paroquiais da Ação Evangelizadora, Padres e Diáconos, Religiosas e seminaristas, coordenações diocesanas das pastorais e dos movimentos vieram, no dia 19 de fevereiro, para partilhar ideias e definir caminhos para a vida diocesana. Na frente, um grande painel mostrando a Bíblia Sagrada e dela partiam raios que se dividiam ligando o Livro Sagrado a todos os recantos da diocese, simbolizados nos 13 municípios que a compõem. O lema da X Assembleia é esse que está no título desta página: “Igreja em Missão, Iluminada pela Palavra”. De fato, todas as ações programadas pela Igreja Diocesana devem brotar de dentro da Palavra de Deus. Mas quais as urgências, quais os projetos, que programas e estratégias devem ser abraçadas por todos?

Como um corpo articulado, essa escolha não é feita pelas paróquias, nem pelas capelas. Não é por escolha do pároco ou por iluminação das lideranças paroquiais. Quem é que, então, define caminhos na Igreja? O Bispo? Também ele deve agir colegialmente com os outros bispos. Há um movimento de asas, leve e solto, por sobre as realidades do mundo. As aspirações do povo de Deus vão se conduzindo até os pastores, e deles retornam em forma de impulsos, moções, propostas e diretrizes, que vão formando esses consensos, essa  grande comunhão. Sintonia com as grandes propostas da Igreja, com os bispos do Continente, com as Diretrizes da CNBB, do Regional Sul 2, até chegar novamente à nossa realidade eclesial. Um corpo articulado, em que a alma desse corpo é o próprio Espírito. Uma Assembleia Diocesana é assim, a voz do Espírito.

Divergências e consensos

No mundo, na sociedade, na política, na convivência entre vizinhos, mesmo num condomínio de prédio, na escola, na vida econômica, em tudo, prevalece um grande dissenso, uma divergência básica regida pelos interesses de cada um. Como é possível a convivência? Pelo voto. Ao menos na democracia é assim, vota-se, e quem tem maioria vence. Ou então prevalece a lei do mais forte. Na Igreja não é assim. Busca-se o consenso, muitas vezes lento e difícil, e que só acontece quando se ouve a voz do Espírito. Não quer dizer que não haja opiniões diferentes. E até, vez por outra, a própria Igreja se contamina pelo jeito de ser do mundo, mas quando existe a busca da comunhão, mesmo as dificuldades encontradas abrem novas compreensões, enriquecem o debate, ampliam os horizontes. A nossa X Assembleia Diocesana não votou as propostas, e não foi necessário, pois estava claro, desde os trabalhos em grupos, que eram bem acolhidas. Foram enriquecidas de novos aspectos, e deverão ainda passar pela prova do caminho prático. Não são normativas. São diretrizes, marcas no caminho, para ajudar as comunidades a trilhar as sendas da unidade diocesana.

Cinco eixos

O Conselho Diocesano da Ação Evangelizadora escolheu cinco grandes temas da vida diocesana e confiou cada um deles a uma comissão, encarregada de apresentá-los ao plenário. Três delas já vinham do planejamento anterior. Duas eram novas, porém, já em andamento na Diocese. Portanto, a característica desta Assembleia não foi a de abrir caminhos novos, mas a de aprimorar, transplantar experiências,  incluir a todas as comunidades com sua variedade, no caminho da unidade. Coloco, no quadro abaixo, as cinco propostas: MISSÕES – PASTORAL BÍBLICA – CATEQUESE E FORMAÇÃO – LITURGIA – CARIDADE. Coloco-as na minha linguagem, com os meus acentos. As equipes que vão conduzir esses programas, com os acréscimos que vieram do plenário, se encarregarão de oferecer os subsídios, encaminhar as propostas, avaliar e corrigir os rumos. Neste primeiro momento eu espero que os leitores, as comunidades, os movimentos, os conselhos, tomem conhecimento do que implica cada uma das propostas. Uma avaliação de como estão esses pontos em sua paróquia, em sua capela, em seu movimento, na sua comunidade cristã, o que pode ser feito de imediato, o que virá depois, que reflexões essas propostas suscitam. O quadro abaixo é um convite a que todos recebam as propostas da X Assembleia com fidelidade, mas também com criatividade.

Quero agradecer a presença de todos os que se esforçaram e se fizeram presentes. E também as equipes de serviço, desde a decoração, refeições, secretaria, celebrações. Foi notável a alegria e a união de todos em torno dos objetivos propostos. Passou meio despercebido um cartaz que estava no plenário da Assembleia, com uma frase do documento de Aparecida. Eu o transcrevo aqui, como incentivo a que nos alegremos pelo chamado que recebemos de Cristo, para abraçarmos com coragem a nossa missão.

“Conhecer a Jesus Cristo pela fé é uma alegria; segui-lo é uma graça, e transmitir esse tesouro aos demais é uma tarefa que o Senhor nos confiou ao nos chamar e nos escolher.” (DA, 18)

X ASSEMBLÉIA DIOCESANA – 2011 – IGREJA EM MISSÃO, ILUMINADA PELA PALAVRA

Para que haja uma boa acolhida das propostas da X Assembleia, cada paróquia, com seu Conselho, busque compreender de forma mais ampla o conteúdo e as possibilidades de cada um desses temas. Meça o que já é realizado e o que está por fazer. Abra o coração e as mentes ao Espírito, para preparar, planejar e por em prática esses programas.

1. IGREJA EM MISSÃO – O Conselho Missionário Diocesano fez uma ampla revisão das atividades realizadas até aqui, corrigindo alguns pontos negativos, apontados pelas paróquias já visitadas, investindo muito na formação dos Missionários. Quatro novas etapas já estão agendadas e acontecerão em São Cristóvão, Santo Antonio do Iratim, Santa Bárbara e Nossa Senhora do Rocio. Serão incentivadas as Comissões Missionárias Paroquiais, com orientações para a sua ação permanente nas paróquias. A visitação, em cada comunidade rural, em cada bairro da cidade, rua por rua, não deve deixar nenhum cristão abandonado. Deve descobrir e buscar aqueles que mais necessitam da presença da Igreja. Deve buscar quem está afastado, dialogar com quem está isolado, levar a Palavra a quem não a conhece. Objetivo: ser Igreja em “permanente estado de Missão”.

2. PASTORAL BÍBLICA – Incentivados pela Exortação Verbum Domini, toda a Igreja é chamada a aproximar-se mais e mais intensamente da Palavra de Deus. A equipe da Pastoral Bíblica já iniciou a publicação de um encarte no boletim Estrela Matutina, com roteiros para os Grupos de Reflexão Permanentes. A publicação será feita com antecipação necessária para a distribuição,  sobretudo, nas Capelas que vinham recebendo o Estrela com grande atraso. E os responsáveis das Capelas venham, na medida do possível, até a matriz para buscar o jornal. Talvez tenhamos que descobrir um modo de colocar a Bíblia na mão daqueles que ainda não têm, uns ajudando os outros para que todas as famílias a tenham. Foram anotadas boas iniciativas que estão acontecendo em diversas comunidades, para que as boas experiências possam ser multiplicadas. O “Dia da Palavra” foi mencionado como uma boa oportunidade de mostrar a importância da Bíblia para cada cristão. Objetivo: Iluminação Bíblica de toda a ação evangelizadora, incentivo ao crescimento dos GRPs.

3. CATEQUESE E FORMAÇÃO – A Catequese do Regional Sul II está implantando um programa de formação para catequistas em nível paroquial, diocesano e regional, em diversas etapas, bem planejadas. Em nossa Diocese funcionarão 15 centros de formação para o primeiro nível. Também a Escola Catequética “Semeadores do Reino” será integrada nesse mesmo projeto. Além disso, seis coordenadores diocesanos já começaram o Curso de Especialização, em Curitiba, para serem formadores. Todo esse programa poderá ser aberto a outras lideranças, oferecendo assim um bom conteúdo, de forma descentralizada e prática, para agentes de pastoral de todas as áreas. Objetivo: investir na Formação em todos os níveis.

4. A SAGRADA LITURGIA – Proposta já iniciada na Assembleia anterior, a organização diocesana da Liturgia permanecerá como uma proposta a ser abraçada por toda a Diocese, proporcionando formação litúrgica para as equipes de celebração e aprimoramento do canto litúrgico. Foi pedida a descentralização da formação litúrgica, aproveitando a estrutura de formação das escolas paroquiais de catequese. Houve insistência na publicação de um Diretório Litúrgico diocesano. Não houve consenso sobre a produção de um livro diocesano de cantos. Objetivo: Animar e oferecer subsídios para as Equipes paroquiais de Liturgia e para as equipes de celebração.

5. CARITAS DIOCESANA – Uma proposta nova foi acolhida pela Assembleia, dando corpo a um projeto já iniciado na Paróquia São Cristóvão e Nossa Senhora da Salette. Trata-se da criação da Caritas Diocesana, como forma de qualificar e intensificar a prática da caridade em nossas comunidades paroquiais. Diversas ações caritativas são realizadas pelas paróquias e Instituições religiosas que atuam na Diocese, algumas de grande valor evangélico, mas desvinculadas umas das outras. Esse trabalho poderá ser potencializado, e novas frentes de trabalho social poderão ser criadas sob a orientação da Caritas Diocesana. Devemos aprender a planejar as ações caritativas em forma de projeto social, para que possam ser realizadas “em rede” uns aprendendo com os outros. As ações caritativas devem ser também evangelizadoras, não só para aqueles que a recebem, mas também para aqueles que contribuem, com mais consciência e alegria. A Paróquia de São Cristóvão e Nossa Senhora da Salette apresentou os projetos já iniciados na comunidade com êxito, servindo de base para a Assembleia Geral de Fundação da Caritas, dia 12 de março, com participantes de outras paróquias e instituições. Objetivo: tornar mais efetiva a prática do maior mandamento: o amor a Deus e ao próximo.

Sem comentários

Deixe um comentário

*